A uma Arquitetura Ecológica

A atividade arquitetônica originou-se com a finalidade de criar um entorno de proteção para o homem.Inicialmente esta atividade era rústica e se limitava a satisfacer de maneira alementar as necesidades humanas.
Mas com o passar do tempo se tornou em um modo complexo e refinado de expressão e manifestação de outro tipo de inquietude mais emocional e espiritual. Em muitas ocasiões a arquitetura era considerada como um ato creativo em paralelo com as crenças da criação do universo. E finalmente é considerada meramente como uma atividade humana criativo e ainda uma atividade banal para geração rápida de riqueza.

De qualquer maneira, a arquitetura serviu do entorno natural simplesmente como um fornecedor de matérias primas , com as quais pode manifestar e consolidar a atividade humana criativa. A natureza foi considerada um provedor infinido de recursos, do qual abasteciasse sempre que necessário.Em nenhum caso o homem prentendeu realizar uma atividade construtiva que estivesse integrada, em menor o maior medida, com os ciclos naturais e da natureza.

Certamente porque nunca existiu a necessidade de planejar deste modo, mas talvez também porque o comportamento da Natureza é tão complexo, que tentar entender-lo e reproduzir-lo parace um trabalho impossível.

Por isso, o máximo que a arquitetura pode conseguir, foi integrar-se de forma visual ao entorno (no melhor dos casos está claro), e modelar-se formalmente de acordo com as condições medioambientais predominantes de uma determinada zona climática.Assim, a arquitetura seguiu evoluindo básicamente de maneira formal e espacial, e a natureza simplesmente serviu como fonte de inspiração formal e algumas vezes conceitual.O resultado foi que, atualmente, a arquitetura não tem nada em comum com as normas que regem os ciclos básicos da Natureza.

A arquitetura simplesmente usa a Natureza e a deteriora de acordo com a magnitude de sua escala.A atividade humana sempre ocasionou um tipo ou outro de deteriorização ambiental. Quando o número de habitantes sobre a Terra era reduzido, e sua atividade moderada e pouco industrializada, o impacto não era perceptível, e a Natureza podia se adaptar aos danos causado produzidos pelo homem.

Sem dúvida, nos últimos anos, com mais de 6.500 milhões de habitantes sobre o planeta, levando em consideração uma atividade industrial feroz, o impacto ambiental é enorme, e a Natureza já não tem mais capacidade para absorve-lo.

Como resultado, a deteriorização ambiental já é percepida diretamente para o cidadão, e sem dúvida alguma, é necessário tomar medidas urgentes com o fim de deter o impacto negativo e regernerar esta deteriorização ambiental.São muitos os problemas ambientais que já se tornaram evidentes; o aquecimento global, a contaminação atmosférica, a contaminação dos aquiferos, a escassez de água, a salinização dos oceanos, a chuva ácida, a contaminação de muitas costas, o despejo marinho, os depejos em aquiferos, os despejos terrestres, a desordem climática, o desapareciemnto de espécies, a escassez de zonas verdes, o crescimento de superfícies construídas, a falta de permeabilidade dos solos, a escassez de recursos, o aumento de resíduos, etc.

Sem dúvida, o homem, ao passar do seu proceso de evolução, idealizou um sistema econômico integrado aos processo naturais, mas sem antes de ver a necessidade que agora é urgente.

Deixe uma resposta