Piscinas de poliéster, uma boa alternativa para sua casa

Provavelmente, um dos eventos mais interessantes da tecnologia da piscina é o desenvolvimento de piscinas de poliéster.
Eles são a alternativa mais útil para substituir outros materiais mais convencionais, como telhas e concreto. Pools de poliéster tornaram-se muito populares devido aos muitos benefícios que eles têm. Veja por que essas piscinas são ótimas opções em piscinas convencionais.

Provavelmente, a maior razão pela qual este grupo é muito popular é o fato de que o poliéster é um produto fácil de usar.A piscina é mais fácil de configurar e requer manutenção mínima para operar. O material também é mais elegante que telhas ou concreto. É um bom investimento para quem procura uma opção de piscina mais econômica.

Uma piscina de poliéster é na verdade uma peça grande produzida de acordo com as especificações do cliente. Isso significa que você não vai derramar concreto e esperar secar e curar. Não há mais ajustes de ladrilhos que possam ser caros e demorados. Uma vez que a área de terra é cavada para a piscina, é muito fácil de montar e colocar.

Você também pode se interessar por este artigo sobre modelos de piscinas:

Uma vez que a piscina de poliéster é pré-fabricada, é menos dispendiosa do que outras variedades de piscinas. Isso pode poupar centenas de dólares que você pode investir em outras instalações necessárias para o seu quintal.

Você pode comparar esse tipo de piscina a uma enorme banheira, por assim dizer, e o processo de instalação geralmente dura apenas cerca de 1 a 2 semanas, e isso inclui todos os componentes elétricos. Por outro lado, a possibilidade de vazamento de água é mínima. É extremamente resistente a trincas e pode durar muito tempo sem a necessidade de qualquer material ou peça de reposição, ao contrário das variantes de concreto e ladrilho que são propensas a danos aos ladrilhos.

Outra grande vantagem do poliéster é que ele não altera a água, o que significa que ele requer consideravelmente menos produtos químicos para piscinas. Eu poderia economizar dinheiro por causa disso.

As propriedades do poliéster mantêm a água mais quente por períodos de tempo mais longos, tornando-a mais atraente para a natação, e ajuda a evitar as contas ridículas de aquecimento da piscina. Diferentes cores, tamanhos e designs são possíveis.

Alternativas do viagra para ter boas ereções

Resultado de imagem para boas ereções

Alternativas do viagra para ter boas ereções

São muitos homens procuram ajuda médica para tratar com os problemas de impotência sexual; mercado de medicamentos contra a disfunção erétil (DE) também oferece muitas alternativas, incluindo os genéricos do Viagra, medicamentos similares, várias terapias e produtos de venda livre. Neste artigo queremos dar-lhe uma visão geral e explicar o efeito das alternativas individuais de Viagra.

Em seguida, lhe ofereceremos uma lista dos melhores medicamentos alternativos para lidar com a disfunção eréctil. É importante notar que NÃO recomendamos a automedicação, o melhor é recorrer a um especialista para que ele faça um exame e lhe prescreva o tratamento mais recomendado no seu caso.

Cialis
O medicamento contém como ingrediente ativo Tadalafil que como o Viagra, pertence ao grupo dos inibidores da fosfodiesterase tipo 5 e é receitado para a disfunção erétil. Cialis relaxa os vasos sanguíneos para que o sangue possa fluir mais livremente no pau.
Seu efeito pode durar até 36 horas, tempo durante o qual um homem pode ter várias ereções. Cialis pode ser tomado somente após a consulta médica e só está disponível com receita médica. Cialis é fabricado pela companhia farmacêutica Eli Lilly and Company.

A perda de peso
A droga contém o princípio ativo, que é o Vardenafil, e é a terceira melhor pílula de potência vendido separadamente de Viagra e Cialis. Levitra tem efeito após cerca de 30 minutos e tem uma duração de aproximadamente 4 horas.
O medicamento estimula a circulação, o que torna mais fácil para que o sangue flui para o pênis. Levitra é fabricado pela empresa farmacêutica Bayer. Como o Viagra e o Cialis, Levitra deve ser prescrito por um médico.

Imagem relacionada

Xtrasize
Viagra foi originalmente fabricado pela companhia farmacêutica Pfizer. Desde que a protecção da patente expirou, várias empresas, como Stada, Biológicos e Ratiopharm começaram a oferecer Xtrasize como genérico mais barato. O fármaco atua dentro de 30 minutos e dura cerca de 4 horas. Para ser capaz de comprar Xtrasize genérico, também é necessária uma receita médica. Veja aqui Xtrasize como comprar

Terapias alternativas ao Viagra para tratar com os Problemas de Ereção
Além dos medicamentos, há uma série de terapias alternativas ao viagra que podem ser consideradas para enfrentar e superar os problemas de disfunção erétil, aqui citamos algumas dessas alternativas.

As Injeções do Pau
As injeções no corpo cavernoso são outra alternativa ao Viagra. Um medicamento é injetado no corpo cavernoso do pênis, usando uma seringa, o que conduz a uma ereção. O paciente se auto-injetado na observação de um urologista. No decorrer de várias citações, a dose é ajustada até que a ereção, resultante satisfatória.
A partir de então, o paciente pode consumir em casa. Este método, no entanto, pode causar efeitos secundários; em alguns casos pode apresentar uma ereção prolongada que precisa ser eliminada por um urologista se dura mais de quatro horas.

Terapia Psicossexual
A disfunção erétil e problemas psicológicos, muitas vezes andam de mãos dadas. Os problemas psicológicos podem causar uma falta de confiança, interesse sexual, que por sua vez leva a problemas de ereção. Independentemente de seu estado mental, a psicoterapia é incrivelmente útil para entender algumas das razões pelas quais você está tendo dificuldades para manter conseguir uma ereção e deve ser considerado.
O terapeuta pode ajudar com uma série de discussões, exercícios e também pode envolver seu parceiro (se assim o desejar, para compreender melhor os problemas subjacentes dificuldades relacionadas com o sexo.

Resultado de imagem para boas ereções

Gel
A titan gel funciona como uma forma de tratamento, durante o qual se utiliza um tubo de plástico, de metal, para ampliar a estreitada uretra e inserir um gel diretamente neste. Como resultado, o músculo se relaxa as artérias do pênis e tratar a disfunção erétil. O método é muito eficaz, no entanto, de 30 por cento dos homens podem sofrer de dor após o tratamento.

Prótese Pênis
Se os problemas de ereção não podem ser tratados com medicamentos, uma prótese de pênis pode ser o último recurso. Durante uma operação, os corpos cavernosos do pênis são removidos e substituído por uma prótese de silicone hidráulica.

Uma prótese de pênis é uma bomba , dois cilindros e um recipiente de líquido. Se você pressionar a bomba várias vezes, o líquido flui a partir do depósito no cilindro e ocorre uma ereção. Para parar a ereção, a bomba é prima de forma contínua, de modo que o líquido gozar novamente na tigela.

Pisos Vinílicos ou Laminados? Características e Diferenças

Vai fazer uma reforma na sua casa ou adquiriu o tão sonhado apartamento e não sabe se aplica piso vinílico ou piso laminado? Quais as diferenças e principais características entre um e outro?

Calma. Neste artigo vamos esclarecer algumas dúvidas mais comuns durante essa etapa do processo e os locais mais adequadas para serem utilizados. Então prepara um bloco de notas, pegue uma caneta e não deixe de anotar nada, para não haver indecisões na decoração ideal para seu revestimento e descubra qual deles é melhor para sua obra.

Primeiro é importante saber a forma de fabricação de cada um. O piso vinílico é composto por PVC ou cloreto de vinila e vem em placas, réguas ou mantas. Enquanto o laminado é produzido por camadas de materiais derivados da madeira, originados do painel de madeira de alta densidade (HDF), com a camada superior recebendo uma estampa decorativa, impregnada com resina. Também vem em formato de réguas e pode ser instalado por encaixe ou cola sem cheiro.

Pisos Vinílicos ou Laminados

Agora vamos analisar as vantagens, uma a uma. O piso laminado é fácil de instalar e o contrapiso não precisa estar nivelado, podendo inclusive ser utilizado no dia seguinte. Tendo em média uma durabilidade de 5 a 15 anos e pode ser reaproveitado se removido com cautela para utilização em outro local. Já o vinílico abafa ruídos de passos,  mancha muito pouco e é antialérgico, pelo fato de ser protegido por resina de poliuretano. Além de contribuir para conservar a temperatura dos ambientes e variedade nas opções de cores, desde aparência discreta à tons mais vibrantes.

A próxima etapa é saber os lugares ideais para aplicar e ambos são bem parecidos tecnicamente. Os dois são aconselhados para áreas internas como: salas, quartos e escritórios residenciais, mas cada um tem sua particularidade. O vinílico tem um resultado melhor em áreas que não recebem sol intenso e para quarto de crianças, especialmente as alérgicas devido à facilidade de limpeza. Por outro lado o laminado vai bem em locais mais amenos e com um pouco mais de sofisticação. Em comércios costumam ser adotados em escritórios comerciais, lojas e restaurantes.

Por fim,mas não menos importantes, iremos abordar sobre limpeza de cada um. Conforme já dito, o piso vinílico resiste a manchas e também a proliferação de bactérias, sendo ideal para a simplicidade em meio ao dia a dia corrido, basta varrer ou passar um pano umedecido. Enquanto o laminado terá uma limpeza melhor utilizando aspirador de pó ou vassoura de cerdas suaves passados no sentido das réguas, mas atenção para não raspar a superfície. Em caso de manchas, detergente e álcool costumam resolver os casos mais simples, já para tinta, verniz e graxa deve ser utilizado querosene ou tíner.

Como decorar a pequena sala de estar

Muitas vezes, as pequenas salas de estar fazem você se sentir desconfortável e capturar uma sensação claustrofóbica para o pequeno espaço para andar. Quando assim, é altamente recomendável procurar soluções inteligentes sobre como decorar a pequena sala de estar.

Existem muitos truques para decorar pequenas salas de estar e tornar esses espaços pequenos, atraentes e modernos quartos que permitem a livre circulação, obtendo uma impressão muito mais ampla e profunda do espaço.

PENSE EM LINHAS

É muito simples pensar na metragem quadrada de uma sala e esquecer completamente que existem muitos outros fatores interessantes: basta olhar para cima. Se você tentar que a visão pare de olhar para o chão e olhe para cima, você estará no caminho certo. Então pegue uma lâmpada ou um simples vaso de chão, cortinas longas e coloque suas pinturas e espelhos em cima.

O mesmo se aplica ao mobiliário. Por exemplo, a mobília que é reta ocupa menos espaço e oferece todo o conforto e beleza de uma curva.

COMPRE UM GRANDE TAPETE ESTAMPADO

Se o piso do seu quarto for de madeira escura, aconselho-o a comprar um tapete estampado de grandes dimensões com linhas, uma vez que ajuda a aumentar o espaço e também a iluminar o quarto. Você não precisa necessariamente comprar um tapete durante toda a estadia. Você só pode comprar um grande tapete que acompanha o mobiliário principal.

USE ESPELHOS

Acredite ou não, os espelhos são perfeitos para uma estadia. Se você puder, eu sugiro que você use um espelho que realmente se expande verticalmente. Tenha isso em mente; os espelhos serão mais eficazes quando refletem a luz, então você precisa ter certeza de que eles estão voltados para a luz ou de uma parede de cor clara.

ESCOLHA A COR DA PINTURA CERTA

As cores da pintura transformam a estadia drasticamente. Os quartos que não têm espaço devem ser pintados com tons frios, como azul, verde ou cinza. Cinza é uma cor neutra e parece ótimo em salas de estar, como ele é acionado com qualquer esquema de cores. Para fazer o quarto parecer mais arejado e alto, sugiro que você pinte o teto com uma cor mais clara.

5 dicas de decoração para casas pequenas

casa decorada

A decoração de um lar é algo que deve ser pensado minuciosamente. Casas pequenas, por exemplo, requerem um estudo muito maior para que se possa aproveitar cada fragmento do ambiente.

Se o desejo de muitas pessoas é disponibilizar um espaço bem decorado, é importante cuidar alguns detalhes essenciais. A decoração de casas pequenas pode ser feita de maneira sofisticada e muito bonita, basta prestar atenção nas seguintes dicas de decor:

  1. Atente-se às cores do teto e das paredes

Preste atenção nas colorações do cômodo. Não é algo muito simples, mas é o diferencial em ambientes pequenos e simples. De acordo com o que se planeja, é possível gerar profundidade, continuidade, alongamento e, portanto, é necessário atentar-se às cores.

Utilizar colorações mais claras gera a impressão de espaço mais amplo, incluindo os rodapés. Papeis de paredes também são boas alternativas, pensando em uma estampa delicada, em que a arte tenha a aplicação em duas paredes, apenas.

Mas nem tudo tem que ser branco. É possível usar tons diferenciados, ainda beirando o claro. O teto e as paredes como aquilo que dá a base na decoração para casas pequenas.

  1. Nichos e prateleiras são ótimas ideias

O aproveitamento das paredes é muito necessário para que possa acomodar seus pertences de forma organizada. A decoração pode ser feita de forma bonita e sofisticada a partir dos nichos. Além disso conseguem manter a organização do cômodo.

Este é um recurso para economizar espaços e  pode ser utilizado, inclusive, em banheiros e cozinhas, facilitam o acesso aos utensílios.

Uma ótima alternativa sobre os nichos é a escolha de armários que disponibilizem cores em tons claros e linhas retas. Esse design é perfeito para gerar a sensação de modernidade e leveza ao ambiente pretendido.

Com os nichos, a dica é fazer investimentos em modelos vazados que colaboram para visualizar a parede, gerando a impressão de ambiente maior.

  1. Abuse do clean

O “clean” é um estilo de ambiente limpo, sem muita informação. O visual minimalista e simples traz, sobretudo, a característica moderna aos cômodos. A aposta em um ambiente que se preocupa com o essencial, é um estilo clean perfeito para a decoração de casas pequenas.

A ideia é sempre prezar pelo simples. Cores neutras, amadeiradas, são as de maior indicação por especialistas. Para ambientes de quartos e salas, o interessante é a aposta em colorações que despertem aconchego. Nesses ambientes, aposte também em objetos neutros como estofados e almofadas.

Decorações mais clean prezam por diversas características. Cores neutras se destacam com mobílias em ângulos retos, sem muitos adornos e pouquíssimos objetos, mas que marcam presença.

  1. Busque mobílias planejadas e funcionais

Móveis que são planejados e que apresentam diversas funcionalidades podem ser peças chaves em ambientes pequenos. O destaque dessa mobília é o fator de praticidade unido ao fator da beleza. A ideia é preservar a movimentação das pessoas pela casa, sem problemas.

Os planejados fazem toda a diferença nas casas pequenas. Além de ocupar menos espaço e terem duas ou mais utilidades num mesmo móvel, estes proporcionam um destaque sofisticada ao ambiente inteiro da casa.

Mobílias suspensas fazem com que o visual se torne mais suave. A tv, por exemplo, pode ser fixada na parede, acompanhada de um painel com tons claros. Racks podem ter o posicionamento embaixo da tv, de maneira a agregar pequenos objetos, com discrição e sem muita informação.

  1. Poucos móveis grandes

A utilização de móveis grandes em casas pequenas deve ser um número pequeno. Um ou outro móvel pode ser grande, a fim de não tornar o ambiente sem circulação. Uma peça grande, ou outra, pode se tornar o destaque no cômodo, melhorando a harmonia do ambiente.

Utensílios De Cozinha Profissional

Para as pessoas que acabaram de começar cozinhar, existem muitos tipos de utensílios de cozinha. Eles dependem do propósito que você lhes dá e o tamanho depende de quantas porções você vai cozinhar. É mais fácil escolher seus utensílios se comprar conjuntos que incluam quase tudo o que você precisa.

O CONJUNTO DE UTENSÍLIOS DE COZINHA

Um conjunto de utensílios de cozinha inclui uma panela, frigideira, panela e um conjunto de panelas para banho maria. Mas existem alguns conjuntos que incluem apenas potes e panelas de diferentes diâmetros.

Para fritar e refogar, uma panela é ideal, para omeletes, uma panela para omeletes. Os conjuntos de maconha são usados ​​para ferver e ao mesmo tempo para cozinhar a vapor. Suas necessidades de cozimento e seus pratos favoritos devem ser considerados ao escolher utensílios de cozinha.

O MATERIAL DOS PRODUTOS

Você também pode escolher seus utensílios com base nos materiais do mesmo. As panelas antiaderentes são feitas de teflon ou alumínio anodizado. Se você não quer esfregar as panelas, então esta panela é para você. Também existem opções mais econômicas, que não lá uma Brastemp, mas da para o gasto.

De qualquer forma, panelas antiaderentes são muito caras. Há também cobre, aço inoxidável e alumínio. Esses materiais conduzem o calor em diferentes velocidades, também dependendo da concentração de metal em uma liga.

AS PANELAS

Panelas de aço inoxidável são muito boas e baratas. Sua durabilidade é algo com o que você pode contar. Em qualquer caso, não conduz calor tanto quanto outros metais. Muitas vezes, utensílios de aço inoxidável cozinham alimentos desigualmente.

Além de visualmente bonitas, as panelas de aço inoxidável, também sãos levee e dura muito. De qualquer forma, se você cozinhar alimentos com ácidos cáusticos, como vinagre, pode causar reações químicas e a comida por ficar  como um sabor amargo.

Utensílios de cobre são os mais caros. O cobre é um excelente condutor de calor, mas também tende a entorpecer.

Como projetar sua cozinha

Através deste artigo interessante você vai descobrir as melhores dicas que você não deve esquecer ao projetar sua cozinha e dando-lhe a atmosfera que você deseja.

CONHEÇA BEM O AMBIENTE

O critério que determinará a forma da sua cozinha é o espaço disponível. Você tem que medir as dimensões e localizar as janelas, as portas, as entradas de luz, gás e água.

ATENHA-SE AO ORÇAMENTO

É muito importante que você não esqueça de incluir os aparelhos.

TIRE UM TEMPO

É um investimento a longo prazo e o mínimo esquecimento se torna um grande problema. Então, você deve visitar os lojas e passear por suas exposições para conhecer os produtos mais recentes muito bem.

FUNCIONALIDADE DE PRIVILÉGIO

Você tem que respeitar a regra do chamado “triângulo de trabalho”: forno, pia e geladeira você tem que estar o mais próximo possível para reduzir os deslocamentos.

UMA BOA IMPLANTAÇÃO

  • Lembre-se, nas cozinhas lineares, um pedaço de parede é usado para alinhar os móveis, uma vez que eles são geralmente longos, mas não muito grandes cozinhas.
  • Cozinhas em ângulo formam um L com 2 das paredes. Esta distribuição é a mais comum e a melhor alternativa para cozinhas médias.
  • As ilhas são recomendadas para aquelas cozinhas de grandes dimensões que permitem a instalação destes elementos de cozimento no centro da sala.
  • U-cozinhas têm três paredes ocupadas, ou 2 e espaço para um bar. É uma alternativa que usa muito bem o espaço e se adapta a cozinhas abertas ou fechadas voltadas para a sala.
  • A coisa boa sobre a cozinha americana ou aberta é o convívio. Mas tem desvantagens como a difusão de cheiros na comida ou o ruído dos eletrodomésticos.

DEFINA SEU PRÓPRIO ESTILO

Existem vários estilos: contemporâneos de linhas puras e tradicionais, com toques aconchegantes ou clássicos, inundados pelo charme dos materiais naturais.

OTIMIZE O PEDIDO

Para evitar que você fique sem espaço, recomendo que você faça um inventário com tudo o que eles têm para pedir e salvar. Para tornar a sua cozinha prática, você tem que ter tudo ao seu alcance.

ESCOLHA ELETRODOMÉSTICOS

A escolha dos aparelhos depende do seu orçamento e do espaço que você tem. Hoje em dia você pode economizar muita energia dependendo do tipo de aparelho que você compra.

RESPEITE OS REGULAMENTOS DE SEGURANÇA

As entradas de gás e o circuito elétrico devem respeitar as regras vigentes. A ventilação é muito importante. E quanto aos menores da casa, existem proteções que minimizam o risco de acidentes.

DECORE A COZINHA E PREENCHA-A COM ACESSÓRIOS

Acrescente acessórios leves, coloridos e decorativos para que sua cozinha seja realmente única e não se pareça com outra.

Idéias para decorar banheiros modernos

Se você precisar de inspiração, aqui mostrarei as últimas tendências para ajudá-lo a estabelecer com clareza o que você quer e o que precisa.

MATERIAIS EM BANHEIROS MODERNOS

Os elementos mais usados ​​hoje em dia são madeira, vidro, azulejos grandes, tanto no chão como para revestir a parede, e bastante cimento ou materiais de textura e cor semelhantes.

Hoje em dia você pode encontrar produtos de madeira especialmente projetados, que lhe permitirão levar uma cor natural ao seu banheiro. A madeira pode ser usada em bancadas ou paredes.

MATERIAIS NATURAIS

A madeira não é o único material natural. Materiais de terra, como pedra de rio e pedra natural, esses materiais não só podem ser usados ​​no chão e paredes, mas também nos banheiros, balcões.

METAIS

Metais fornecem glamour e contraste com materiais naturais. Eles injetam estilo e refletem a luz, com um toque de glamour ou um toque industrial. Hoje em dia, metais com acabamento fosco ou acetinado estão na moda.

CORES

CORES FRIAS

Tons frios estão em tendência, porque criam um ambiente calmo. Algumas das melhores alternativas para tons frescos são verdes azuis e esmeralda.

Eles combinam com acentos brancos e madeira, especialmente para criar uma sensação de frescor. Mas se você quer criar um design mais sofisticado, você deve combiná-los com materiais rústicos e detalhes metálicos.

BANHEIROS MODERNOS BRANCOS

Quando se trata de acessórios para banheiro , o branco é a cor que realmente predomina. O branco é ideal para criar um ambiente contemporâneo e fresco. Use acessórios brancos para completar uma aparência limpa, contrastando com os armários ou paredes.

BANHEIROS MODERNOS CINZA

Acredite ou não, a cor cinza continuará a ser muito utilizada como cor predominante na decoração dos banheiros modernos.

É isso, espero que essas ideias tenham despertado sua criatividade para planejar o panheiro da sua casa.

O que é Festa do Stencil com Livia Fiorelli

O artesanato é uma arte que pode ser utilizada para duas finalidades, por exemplo, para hobbie apenas para passar o tempo ou para se tornar uma fonte de renda extra.

Muitas pessoas, assim como você também amam o artesanato e utilizam vários materiais e técnicas para criar a sua obra. Um das técnicas utilizadas é o Stencil e através dela é possível criar inúmeras artes como nomes ou desenhos.

No entanto, para utilizar essa técnica é necessário ter alguns cuidados para não borrar a peça que será utilizada no artesanato, mas felizmente foi criado o Curso Festa do Stencil com Livia Fiorelli.

Com objetivo de ensinar técnicas que vão ajudar bastante às pessoas que amam trabalhar com stencil.  A mentora responsável por ensinar os métodos corretos compartilha o seu conhecimento em vídeos práticos e simples que qualquer pessoa pode fazer.

O que é Stencil Art

O stencil é uma técnica de pintura que é utilizada para aplicar um desenho sobre uma superfície, com o uso de tinta, essa técnica é feita com papel, plástico, metal ou qualquer material que tenha boa durabilidade e que seja fácil de recortar, para fazer a forma do desenho.

Essa técnica tem origem oriental sendo utilizada no Japão e na China nos anos 500 a.c onde era feita com elementos naturais, como folhas e rochas para fazer as mascaras para ser utilizadas nas partes onde não podiam cobrir com tinta.

Por outro lado, essa técnica também foi utilizada na segunda guerra mundial, para fazer impressões nos uniformes dos soldados. Nos dias atuais, o Stencil Art se tornou um movimento artístico urbano, sendo feito na rua para a rua, essa arte expressa desenhos cada vez mais elaborados, com cortes eletrônicos possibilitando mais criatividade do artista.

Hoje em dia as pinturas feitas com Stencil Art possuem várias camadas e cores, com pinturas mais realista e de alta qualidade.

Quem é Livia Fiorelli

A mentora do Curso é a Livia Fiorelli, que é formada em Turismo pela a Universidade Paulista de Campinas.  Fiorelli em um determinado tempo da sua vida decidiu fazer artesanato como uma forma de terapia para se distrair.

No entanto, essa “distração” se tornou a sua profissão oficial e ela desenvolveu suas próprias técnicas para facilitar o aprendizado e a aplicação para conseguir os melhores efeitos nas peças de artesanato com stencil.

O que vou aprender no Curso festa Stencil com Livia Fiorelli

Com a sua experiência em artesanatos com stencil, Livia Fiorelli desenvolveu este curso para compartilhar o seu conhecimento, com objetivo de ensinar às pessoas a forma de trabalhar corretamente.

Dentro do curso você vai aprender em vídeos aulas práticas, como sombrear corretamente as peças para o seu artesanato. Como dar incríveis efeitos nas peças, além de aprender como criar profundidades com stencil e bolinhas.

O curso completo possui 4 vídeos aulas sendo complementado com mais 4 revisitas que ensinam todo o passo a passo para aprender utilizar essa técnica incrível no artesanato.

Conclusão

Os amantes do artesanato contam bastante com essa técnica para produzir as suas artes. Então se você deseja aprender ou melhorar as obras o curso festa do stencil com Livia Fiorelli é uma boa opção.

Bioarquitetura: Um olhar em busca da essência

A Bioarquitetura está inserida nesta nova e ao mesmo tempo ancestral idéia de integrar o Fazer Humano com o Meio ambiente em que se vive, estabelecendo com ele uma Sinergia, uma cooperação entre Homem e Natureza, objetivando uma vida mais saudável para a humanidade e também para o planeta.

O abrigo construído pelo Homem deve ser compreendido como algo vivo com seu metabolismo próprio, que vai interagir com o Homem e o meio em que está , não só na fase de construção, mas principalmente em seu uso, para isso devem ser aplicados os conceitos dessa sinergia em todo o processo que envolve a construção, no Pensar, no Fazer e no Usar, entende-se também que toda construção é uma intervenção ao meio ambiente, para tanto ela deve causar o mínimo possível de impacto neste.

Este processo tem que ser sustentável e saudável empregando recursos renováveis, soluções eficientes e economicamente viáveis.

Dois Olhares – Caminhos em concordância 
Se por um lado para atingir esta integração e sinergia, teremos que desenvolver e utilizar Novas Tecnologias como:

– Reciclagem e técnicas de reuso de materiais.

– Pesquisa de novos produtos à base de matérias-primas naturais não agressivas e renováveis.

– Desenvolvimento de novas maneiras de utilizar materiais de mercado com características agressivas ao meio ambiente diminuindo a quantidade empregada ( cimento, madeira, PVC…).

– Sistemas energéticos com recursos naturais locais( solar, eólico, biodigestor…).

– Novas visões de gestão da obra e da manutenção dos edifícios.

Por outro lado teremos que relembrar as tecnologias de construção Ancestrais e Vernaculares, pois estas tecnologias vivem a essência dessa sinergia do Fazer Humano com o Meio Ambiente, em sua forma, materiais e significados.

Este olhar à essência do Fazer da Arquitetura nos trará uma maior compreensão do nosso fazer atual, visa um equilíbrio, unindo a sabedoria das tradições ancestrais e milenares com os novos conhecimentos e tecnologias adquiridas durante nossa história, resultando em um novo Fazer consciente que resgata o valor dos trabalhos manuais e dos materiais naturais renováveis e usa com mais consciência os produtos industriais.

O Saber – Fazer 
Uma das conquistas evolutivas de nossa espécie mais significativas foi a habilidade manual, durante um longo período de evolução, o Homem suprindo algumas dificuldades diante de outros animais se levantou tornando-se um bípede, com isso liberou e especializou suas mãos, transformando-as em uma maravilhosa ferramenta, que é capaz de utilizar, mas principalmente fabricar ferramentas e objetos, fazer nossos abrigos, com elas também nos comunicamos, nos acariciamos, nos curamos…nos fizemos humanos.

O fazer com as mãos pode ser uma experiência profundamente transformadora, como nos descreve preciosamente um dos maiores escultores do século XX:
“Quando meus dedos apalpam a argila, sinto-me caminhando novamente pelas ruas de Stampa, com os sapatos enlameados, regressando da escola, e as montanhas voltam a se ondular à minha volta com suas ravinas que me levam até as alturas em direção aos balcões de xisto, sílex ou nuvens; Torrentes de energia começam a fluir entre as palmas de minhas mãos”
Alberto Giacometti

O ato de criação de uma escultura descrito por Giacometti acima, nos conta algo que só a experiência do Fazer pode proporcionar: sensações, lembranças, emoções, corpo, mente e espírito estão unos com a argila naquele momento de criação, onde o barro não será o único a passar por uma transformação, também o indivíduo neste ato de “fazer” se transformará.

O Abrigo Ancestral 
O abrigo ancestral tem a função de proteger o Homem do clima – ventos, chuvas, neve e calor, de animais e de outros homens, mas existem outras proteções que não são tão fáceis de serem compreendidas, construir um abrigo envolve uma certa cosmogonia, o abrigo é um microcosmo onde seu habitante encontra conforto e segurança, um novo útero, onde ele expressa sua identidade e cria seu universo doméstico ideal (minha casa-meu paraíso), dedicado à sua memória e a memória do grupo que pertence, construída com materiais locais e seguindo a geografia e a cultura do lugar.

– A Oca Xinguana ( um abrigo ancestral)

O índio assim como o homem ancestral vive na natureza, da natureza e para a natureza, integrado sempre à ela e isto se evidencia na construção de seu Abrigo.

A oca, abrigo dos índios moradores do Parque Nacional do Xingu, situado no coração do Brasil, são estruturas maravilhosas, imponentes e ao mesmo tempo integradas ao meio, tem em média 40 metros de comprimento e 9 metros de altura, enormes “casulos” que abrigam até 70 pessoas da mesma família.

A construção leva meses de trabalho duro e conta com a participação de todos, se adapta perfeitamente às exigências do clima tropical, mantendo se frescas no Verão escaldante e impermeável e aquecida no Inverno chuvoso, graças à uma espessa camada de sapé (colhido na época e no tamanho certo e sempre na Lua minguante)e conta com um engenhoso vão acima da cobertura, permitindo a saída do ar quente e a fumaça das fogueiras.

Do interior da Mata se busca as pesadas vigas de madeira roliça, centenas de longas varas para estruturar a pesada camada de sapé e muito cipó para as amarrações.

Cada aldeia possui de oito a nove ocas, dispostas sempre em circulo, formando uma enorme praça que é meticulosamente limpa todos os dias, no centro se encontra uma construção conhecida como casa das flautas, por se guardar lá as flautas sagradas da aldeia e a cultura do povo, na praça acontece a vida social e ritual da aldeia, organizada por caminhos aparentemente invisíveis e atrás das ocas acontece a vida privada das famílias.

O sentido de Belo para o índio está no que é bem feito, o que foi feito com capricho, delicadeza e respeito à sua cultura, em uma sofisticada simplicidade sua oca é bela!

– O Lugar cria a Arquitetura e a Arquitetura recria o Lugar
Para fazermos uma leitura das tradições ancestrais e vernaculares de construir veremos que estas são o resultado do lugar onde estão, a Geografia deste, seu clima, vegetação, relevo, solo… estas condições determinarão os materiais e os recursos disponíveis para as construções, e as condições climáticas à serem satisfeitas, isto resultou nas tecnologias que esses povos tiveram que desenvolver (o saber fazer) para trabalhar estes materiais do lugar e as soluções arquitetônicas que foram encontradas para adequar os abrigos ao clima.

Mas as condições humanas também são determinantes para se criar a tipologia desta arquitetura, a estrutura social dos povos, sua cultura, tradição e sua expressão estética formarão o imaginário do construir este microcosmo(abrigo-aldeia) dentro de um macrocosmo (natureza-meio ambiente) formando com ele uma relação sinérgica e não exploratória.

É importante entendermos essas relações para preservarmos a memória da Arquitetura desses povos e de nossas próprias cidades, São Paulo por exemplo foi construída inteiramente até meados do século XIX(por volta de1860) com terra crua na técnica da taipa de mão e principalmente na taipa de pilão, sendo somente inteiramente substituída no final do século XIX pela alvenaria de tijolos cozidos, própria do período da cafeicultura Paulista, desta Arquitetura com terra crua não restou quase nenhuma construção, sendo assim nossa memória desaparece, nosso imaginário está desfalcado, nossa cultura está falha.

Natureza – Provedora e Inspiradora 
A Natureza além de prover todos os materiais e recursos necessários a nossa sobrevivência, também é fonte de inspiração, quando observamos por exemplo uma flor, descobrimos uma perfeição que se manifesta nas proporções, na cor, no seu padrão e lógica natural de crescimento, que por mais que se repita esse padrão nunca encontrará uma flor idêntica a outra.

Na observação das estruturas e formas naturais encontramos soluções refinadas para todos os elementos de Arquitetura ( vedação, cobertura, estrutura, acabamentos…).

Em sua complexa geometria, encontramos matemática pura – seções áureas nos processos de crescimento, triângulo de pitágoras em suas simetrias e espirais logarítimicas num caracol. Em nossas construções devemos observar o Sol fonte energética primordial, o Relevo e sua linguagem, respeitar os cursos e fontes de água.

Nosso Abrigo integrado a essa natureza é algo vivo tem que respirar, não pode ser impermeável, tem que permitir uma permeabilidade do ar em seu interior e da água em seu entorno, nosso abrigo é a extensão de nós mesmos, possui um metabolismo dinâmico com entradas e saídas de material e energia que devem ser administradas visando uma sustentabilidade de recursos.

Primer caseiro para artesanato

É bem simples de fazer vai precisar de apenas três ingredientes eu tenho certeza que esses ingredientes você tem aí na sua casa então vamos lá agora conseguir a receita de como fazer o primer caseiro. É bom para trabalhar com pintura em tecido, potes.

Você vai precisar de tinta branca pode ser qualquer tipo de tinta tinta para a parede tinta da madeira tinta pva tinta acrílica qualquer tipo de tinta na cor branca se você quiser que seu primer já fica com uma cor da tinta você vai usar tinta na cor de sua preferência ou você pode usar essa bisnaguinha de cor aqui é só colocar umas gotinhas até chegar ao tom que você quer.

Aí você vai ter a tinta colorida seu primer colorido eu prefiro ele como base então sempre usa tinta branca para dar como fundo nas minhas peças aqui eu vou precisar da farinha de trigo pode usar ela com fermento ou sem fermento, a farinha de trigo que você tiver na sua casa eu uso sem fermento.

O outro produto é a cola branca essa é aquela tradicional que a gente usa no colégio a cola papel e vamos misturar a água é apenas para dar o ponto no nosso primer, para fazer eu tenho um potinho aqui você pode usar qualquer pote que você tiver na sua casa pode ser de vidro ou de plástico a gente vai colocar aqui dentro desse pote, só lembrando pra vocês eu usei esses potinhos aqui como medida você pode usar uma xícara ou colheres.

Veja também: pintura em pano de prato passo a passo

Lembrando a quantidade de tinta de farinha de trigo e cola tem que ser a mesma quantidade não importa como você vai está fazendo a medição coloquei tudo aqui dentro agora eu vou misturar bem todos os ingredientes aqui, esta grosso está parecendo uma pasta eu vou pegar a água vou colocar um pouquinho aqui dentro eu vou mexendo, você pode ir colocando água para afinar.

Vou colocando mais água até ela ficar lisinha com uma consistência de tinta mesmo você pode mexendo até misturar bem. bom agora que esta bem lisinha e ficou com a consciência mesmo igual a tinta, vou aplicar no vidro no metal e no pet, posso aplicar em qualquer coisa. Eu pego o meu primer e coloco no meu pote de vidro.

Eu gosto de fazer a aplicação com a ajuda de espuma pode ser aquela buchinha de lavar louça do lado amarelo também eu gosto porque não ficar marca de pincel sua captura mais bonita vai molhar aqui e vai ver o dano batidinhas eu gosto de dar duas demãos de primer, então faço a primeira demão aguardo secar depois em sua aplicação da segunda demão.

Opção de artesanato: pintura em tecido passo a passo para iniciantes
A peça fica bem bonitinha. Quando secar você pode até passar a unha tarde não vai soltar o primer se tivesse passada tinta pura com certeza quando passar a unha iria soltar então esse primer é muito bom funciona super bem você pode usar no plástico no metal pode usar no vidro também você pode até passar um maior que não vai voltar o praia aí você vai passar duas demãos de prime e depois você vem passando a tinta se você já escolheu para fazer com a sua base com cor você passa duas a três de mão e espera secar.

Lembrando é esse plano é caseiro ele tem durabilidade de apenas 15 dias duas semanas porque o trigo ele é perecível ele pode acabar estragando então faça pouquinho a quantidade para você usar dentro deste período aqui, e ele precisa ficar num potinho com tampa bem tampadinho.

Arquitetura Sustentável: Qualidade do Ar Interno e Saúde dos Ocupantes

Estudos indicam que passamos 90% de nosso tempo em locais fechados, onde a qualidade do ar pode ser pior do que a do ambiente externo. O ar interno pode chegar de 10 a 50 vezes mais poluído do que o externo, mesmo nas grandes cidades. Poluentes internos vão de toxinas (como o amianto) a formaldeídos, encontrados em materiais de construção e causadores de alergias como fungos e bactérias.

Mais de 70.000 novos compostos químicos foram introduzidos ao meio ambiente. A agência ambiental americana EPA (Environmental Protection Agency) os chama de uma “sopa química”, na qual vivemos, trabalhamos e brincamos. Menos de 10% destes materiais foram testados para compreender os efeitos crônicos e reprodutivos, bem como as mutações genéticas que poderiam causar. Sua combinação pode ser o motivo para o aumento de doenças auto-imunes, como vitiligo e diabetes.

Por outro lado, atualmente construímos espaços cada vez menores. Combine atmosferas reduzidas com mais químicos, e o resultado será o aumento de toxinas encontradas em ambientes internos.

Muitas disfunções orgânicas tem sido atribuídas a Síndrome do Edifício Doente. Hoje, Os edifícios contêm milhares de formulações químicas e combinações, onde não há forma de saber os efeitos dessas substâncias em nosso corpo.

Contudo, existem maneiras de se combater as implicações destes poluentes na vida cotidiana. Alguns lugares devem ser tratados com maior cuidado para que sejam “ambientalmente amigáveis” e saudáveis. Sendo o fígado responsável por desintoxicar o organismo durante as 8 horas de sono, o dormitório deve ter o ar mais puro possível.

Um purificador de ambiente pode em muito ajudar a qualidade do ar interno. Segundo o Engenheiro Thales Cavalcanti, da Techdomus, “Em uma casa inteligente, o sistema de aspiração central pode ser muito benéfico à qualidade do ar interno, melhorando em 47% a qualidade deste em relação ao uso de um sistema convencional”. Diferentemente dos aspiradores de pó portáteis, este sistema funciona por uma série de tubulações que ligam os ambientes a uma máquina filtrante colocada em área externa. Desta forma, todo o ruído e pó são realmente removidos da atmosfera, podendo ser 5 vezes mais potente do que um aspirador convencional. Os portáteis, apesar de possuírem filtros, devolvem cerca de 30% do pó novamente ao ambiente.

É igualmente importante fazer o uso de materiais não tóxicos, que contenham baixos níveis de Compostos Orgânicos Voláteis (COVs), incluindo tintas, carpetes, vernizes, tecidos, estofados, etc.

Os COVs são uma categoria de milhares de compostos químicos diferentes, como formaldeído e benzeno, que evaporam rapidamente ao ar. São muito utilizados na fabricação de plásticos, nylon, tintas, colas, thinners e solventes, sendo imediatamente inalados. Causam tontura, dores de cabeça, irritação na garganta, olhos e nariz ou asma, podendo também gerar câncer, danos ao fígado, rins e sistema nervoso, além de estimular alta sensibilidade a outros produtos químicos.

Uma boa ventilação para a troca do ar interno é fundamental. Usando estratégias adequadas, é possível melhorar a qualidade do ar em 80%.

O PVC (poli cloreto de vinil) tem sido apontado como outro material danoso à saúde por sua longa e ampla emissão química ao longo de sua validade, desde a fabricação e uso até a queima final. Alguns elementos de PVC usam Ftalatos (DEHP) em sua composição (encontrados em muitos produtos médicos, brinquedos e materiais de construção) e têm sido relacionados à asma e irritação dos brônquios.

Alguns metais pesados continuam a ser empregados como estabilizadores e outros aditivos em materiais de construção, inclusive no PVC. Chumbo, mercúrio e estanho, por exemplo, são potentes neurotoxinas geradoras de malformação do cérebro em fetos e crianças.

Em tecidos, alguns tratamentos anti-chamas (halogenados e brominados) e anti-manchas (ou Perfluorocarbonos, PFC´s. São os conhecidos Teflon e Scotchguard, entre outros.) também tem se mostrado prejudiciais à saúde.

Por isso, pensando na qualidade do ar interno, exija dos fabricantes as informações de seus produtos e siga as dicas abaixo na hora de especificar:

  • Madeiras e derivados com ou sem baixa emissão de formaldeídos
  • Tintas e vernizes a base de água ou com baixa emissão de compostos orgânicos voláteis (COVs);
  • Cera de abelhas ou óleos impregnanetes naturais;
  • Materiais livres de PVC;
  • Materiais livres de metais pesados e Ftalatos;
  • Materiais livres de anti-chamas halogenados e brominados;
  • Materiais livres de anti-manchas com perfluorobarbonos;
  • Sistemas de ventilação (natural ou mecânica) que permitam a quantidade de trocas de ar necessárias às atividades do ambiente;
  • Sistema de aspiração e limpeza eficiente para a total retirada de poeira, fungos, bactérias e ácaros.

Estes cuidados podem contribuir imensamente para a saúde dos ocupantes, melhorando o bem-estar e a produtividade das pessoas, colaborando também para com o meio ambiente, considerando-se que a Qualidade do Ar Interno é um dos aspectos da Arquitetura Sustentável.

Arquitetura Sustentável: Prevenção da Poluição no Canteiro de Obras

A erosão do solo em locais existentes acontece devido à falta de vegetação de cobertura desgastada pelas pisadas do homem, com acentuadas inclinações do terreno na qual a força da água de chuva excede ou pela resistência da vegetação, ou pelo tráfego de veículos em caminhos não pavimentados.

A perda da camada superior e fértil do solo é uma das mais significativas conseqüências da erosão no canteiro de obras. Esta camada possui matéria orgânica, nutrientes e atividade biológica. Sua perda reduz drasticamente a capacidade de sustentar a vida vegetal pelo solo, regular a drenagem da água e manter a biodiversidade de micróbios e insetos que controlam enfermidades e pragas. Há a possibilidade de uma limitação severa quanto à viabilidade do plantio e do paisagismo, levando a preocupações ambientais e necessidades de manejo do solo adicionais, como o aumento de fertilizantes.

As conseqüências provocadas pela erosão decorrente do desenvolvimento de empreendimentos incluem uma variedade de aspectos em relação à qualidade da água. O escoamento dos canteiros de obra carrega poluentes, sedimentos e nutrientes que criam perturbações no habitat natural. Nitrogênio e fósforo carregados pela água da precipitação provocam o crescimento de plantas aquáticas indesejadas, incluindo algas que modificam a qualidade desta e das condições do habitat, ainda comprometendo o potencial recreacional e diminuindo a diversidade de peixes, plantas e animais autóctones.

A sedimentação, ou assoreamento, também contribui para a degradação dos corpos d´água, por reduzir a capacidade de fluxo das calhas dos mesmos, levando a um potencial aumento de enchentes. Ele afeta o habitat aquático por deixar a água mais turva, reduzindo a penetração da luz solar e conseqüentemente a fotossíntese de plantas aquáticas, baixando os níveis de oxigênio e afetando diversas comunidades aquáticas.

Estratégias podem ser adotadas no canteiro

Estratégias podem ser adotadas no canteiro, visando reduzir a erosão da obra, no sentido de estabilizar o solo ou de criar um controle físico.

Esta medida pode ser realizada através de gramíneas de rápido crescimento, para uma ação temporária, pois elas estabilizam o solo de forma mais permanente. Por fim, pode-se criar uma cobertura de cascas de árvores, pedriscos, palha ou mantas plásticas para cobrir e reter o solo. As ações de controle físico-estrutural passam pela criação de canaletas para conduzir a água a tanques de sedimentação ou cercas de geotêxteis para filtragem da água de escoamento superficial em desníveis, de modo a remover os sedimentos na passagem da água da chuva pela cerca.

O sistema de certificação LEED – Leadership in Energy and Environmental Design, criado pelo U.S. Green Building Council (USGBC), contém, dentre seus sete pré-requisitos, o “Controle da Poluição no Canteiro”. Sua realização se dá através do controle da erosão do solo, assoreamento dos corpos d´água e redução da poeira em suspensão. Para tanto, é exigida a comprovação de um plano estratégico de controle da erosão e sedimentação, por meio de documentação específica e detalhamentos de projeto de implantação.

A uma Arquitetura Ecológica

A atividade arquitetônica originou-se com a finalidade de criar um entorno de proteção para o homem.Inicialmente esta atividade era rústica e se limitava a satisfacer de maneira alementar as necesidades humanas.
Mas com o passar do tempo se tornou em um modo complexo e refinado de expressão e manifestação de outro tipo de inquietude mais emocional e espiritual. Em muitas ocasiões a arquitetura era considerada como um ato creativo em paralelo com as crenças da criação do universo. E finalmente é considerada meramente como uma atividade humana criativo e ainda uma atividade banal para geração rápida de riqueza.

De qualquer maneira, a arquitetura serviu do entorno natural simplesmente como um fornecedor de matérias primas , com as quais pode manifestar e consolidar a atividade humana criativa. A natureza foi considerada um provedor infinido de recursos, do qual abasteciasse sempre que necessário.Em nenhum caso o homem prentendeu realizar uma atividade construtiva que estivesse integrada, em menor o maior medida, com os ciclos naturais e da natureza.

Certamente porque nunca existiu a necessidade de planejar deste modo, mas talvez também porque o comportamento da Natureza é tão complexo, que tentar entender-lo e reproduzir-lo parace um trabalho impossível.

Por isso, o máximo que a arquitetura pode conseguir, foi integrar-se de forma visual ao entorno (no melhor dos casos está claro), e modelar-se formalmente de acordo com as condições medioambientais predominantes de uma determinada zona climática.Assim, a arquitetura seguiu evoluindo básicamente de maneira formal e espacial, e a natureza simplesmente serviu como fonte de inspiração formal e algumas vezes conceitual.O resultado foi que, atualmente, a arquitetura não tem nada em comum com as normas que regem os ciclos básicos da Natureza.

A arquitetura simplesmente usa a Natureza e a deteriora de acordo com a magnitude de sua escala.A atividade humana sempre ocasionou um tipo ou outro de deteriorização ambiental. Quando o número de habitantes sobre a Terra era reduzido, e sua atividade moderada e pouco industrializada, o impacto não era perceptível, e a Natureza podia se adaptar aos danos causado produzidos pelo homem.

Sem dúvida, nos últimos anos, com mais de 6.500 milhões de habitantes sobre o planeta, levando em consideração uma atividade industrial feroz, o impacto ambiental é enorme, e a Natureza já não tem mais capacidade para absorve-lo.

Como resultado, a deteriorização ambiental já é percepida diretamente para o cidadão, e sem dúvida alguma, é necessário tomar medidas urgentes com o fim de deter o impacto negativo e regernerar esta deteriorização ambiental.São muitos os problemas ambientais que já se tornaram evidentes; o aquecimento global, a contaminação atmosférica, a contaminação dos aquiferos, a escassez de água, a salinização dos oceanos, a chuva ácida, a contaminação de muitas costas, o despejo marinho, os depejos em aquiferos, os despejos terrestres, a desordem climática, o desapareciemnto de espécies, a escassez de zonas verdes, o crescimento de superfícies construídas, a falta de permeabilidade dos solos, a escassez de recursos, o aumento de resíduos, etc.

Sem dúvida, o homem, ao passar do seu proceso de evolução, idealizou um sistema econômico integrado aos processo naturais, mas sem antes de ver a necessidade que agora é urgente.

Inspiração de elementos arquitetônicos em viagens

Nesta matéria registro fotos tiradas em Veneza, na Italia que serviram de referencia para o projeto de uma residencia em São Paulo e mais especificamente para o ambiente Suíte da menina na Casa Cor.

O local das fotos especificamente é o Palácio dos Doges, que fica a dois passos do mar e tem ao seu lado a Basílica de São Marco.

A história em si do Palácio é muito rica, nele abrigam salas de justiça, de julgamento, bibliotecas. O Palácio abrigava o governante da cidade e conhecendo bem o projeto de arquitetura, conseguimos entender melhor a historia da cidade, que já foi porta de entrada e saída para o comercio com o oriente.

Mas eu, como arquiteta, fiz um registro fotográfico de elementos, de detalhes construitivos que serviram de referencia para projetos que elaborarei no Brasil que me inspira de como captar clientes para escritório de Arquitetura e ter sucesso nos projetos. Anexei fotos destes detalhes, que são paginações de piso em pedras, formando verdadeiros tapetes, vitrais onde a vasta gama de cores encanta e o trabalho em serralheria também é muito rico.

Em Doges reuniam-se as principais autoridades de Veneza para decidir os caminhos da cidade. Não deixe de ver a “Sala del Maggior Consiglio”, decorada com a enorme pintura de Tintoretto chamada Paraíso. Nas salas que levam à esta câmara, mapas utilizados pelos navegadores à época mostram como os venezianos entendiam o mundo.

Outra atração do palácio é a escadaria onde eram coroados os Doges. Ela é adornada por estátuas de Netuno e Marte, que indicavam o poder de Veneza no mar e terra, respectivamente.

O interessante de viajar pelo mundo como arquiteta é fazer este levantamento histórico e achar elementos decorativos, antigos, mas que podem ser repaginados, e utilizado em projetos atuais, tendo uma historia para se contar, uma referencia.

Esta ideia de aproveitar uma viagem é muito interessante, e não necessariamente precisa fazer isto na Europa, conhecendo bem a historia e estilos arquitetônicos, indo para lugares mais novos como Estados Unidos ou mesmo o Brasil, fica clara as influências de construções mais antigas, vindas do velho mundo.

Enfim, viajar é bom em todos os sentidos, mas para os olhos de um arquiteto pode virar uma grande fonte de inspiração.